Aquecimento sufoca oceanos

O Estado de S.Paulo
Pesquisa da Universidade de Kiel, na Alemanha, indica avanço de ‘desertos submarinos’ nos últimos 50 anos

EFE

A elevação das temperaturas marítimas em regiões tropicais está criando “desertos submarinos” por causa da redução das concentrações de oxigênio. A advertência foi dada em estudo internacional publicado na mais recente edição da revista Science. Segundo os cientistas liderados pelo oceanólogo Lothar Stramma, da Universidade de Kiel, Alemanha, as condições ambientais de carência de oxigênio (hipóxicas) impõem um considerável impacto sobre os ecossistemas marinhos, em muitos dos quais subsistem organismos importantes que não poderão sobreviver com um fornecimento menor de oxigênio. PRESSÕES “Os macrorganismos móveis mais importantes sentem as pressões ou morrem em condições hipóxicas”, apontaram os pesquisadores no artigo da Science. A equipe, da qual fazem parte investigadores da Administração Nacional Oceânica e Atmosférica (NOAA, na sigla em inglês) dos Estados Unidos e membros do Instituto de Pesquisa Marinha da Alemanha, baseou suas conclusões em uma análise das concentrações de oxigênio em águas de profundidade média (cerca de 4 quilômetros) de regiões oceânicas tropicais selecionadas. Foram consolidados dados históricos e medições recentes, cobrindo um período total de 50 anos. O resultado do levantamento foi que as chamadas zonas hipóxicas estão se expandido “de maneira significativa”, especialmente nas áreas tropicais do Oceano Atlântico. No informe da Science, os cientistas afirmaram que essa tendência vai afetar os ciclos de carbono e nitrogênio, com “implicações fundamentais para os ecossistemas marinhos e, em decorrência, sobre recursos de pesca”.

Anúncios